Artigos

    Na Mídia

    Investimentos rumo ao Norte

    *Murillo Barbosa

    Os rios brasileiros cortam importantes pontos do país e precisam ser uma alternativa cada vez mais viável na rota logística do transporte de cargas e no escoamento da produção nacional. Além de menos poluentes, as embarcações têm custo 90% mais barato que outros tipos de transportes. Na região norte do Brasil, na rota do Arco Norte, embarcações conseguem atravessar os estados do Amazonas, Rondônia, Pará, Manaus e Amapá e transportam grãos que chegam a importantes terminais portuários. Segundo o Ministério dos Transportes, em 2017, mais de 50 milhões de toneladas foram movimentadas em toda a região, um aumento impactante que superou 80% de crescimento em relação a 2016. Não longe dali, a Barra Norte do Rio Amazonas é utilizada como rota de saída para a navegação marítima. A soja e o milho seguem para o mercado externo, tendo como principais destinos a Ásia e a Europa. Ao longo dessa passagem, há pontos que limitam a navegação à profundidade de 11,50m o que impede que as embarcações trafeguem com sua capacidade total de carga, impactando no aumento de custos e riscos logísticos para o setor.  Na busca por uma solução para essas limitações, há dois anos a Associação dos Terminais Portuários Privados (ATP) atua à frente do Projeto Barra Norte, que visa conseguir permissão para ampliação do calado – que corresponde à altura da parte do casco que fica submersa - nos navios que passam pela região...
    Leia mais

    Saga do Setor Portuário Privado

    Portos privados podem duplicar sua contribuição para o desenvolvimento nacional. Mas, para isso, o novo governo deverá superar burocracias e uma infraestrutura logística defasada em R$ 1 trilhão Menos burocracia, desenvolvimento em dobro 

    Murillo Barbosa*

    A partir de janeiro de 2019, o novo governo federal assumirá o manche de um país ainda em crise. As equipes econômicas e de planejamento, montadas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro, deverão enfrentar os desafios para estabilizar orçamentos e estabelecer uma gestão que atenda as demandas sociais e também dos setores produtivos e de infraestrutura. A expectativa é de ampliação da participação do setor privado. Na área logística, as empresas portuárias privadas aguardam medidas positivas que possam diminuir os entraves para os empreendimentos. Na avaliação de gestores do setor, sem o atual estrangulamento burocrático e logístico, os portos privados poderiam duplicar os investimentos, gerando ainda mais impostos e mais empregos. Responsáveis por 60% da movimentação nacional de cargas, os terminais de uso privado (TUP) são administrados por empresas que prestam este serviço, com recursos financeiros e em instalações próprias. Em busca da competitividade para o produto brasileiro, os terminais privados investem em modernização, expansão de suas estruturas e na capacitação de mão de obra, absorvendo, inclusive, os riscos inerentes a cada operação.  A resistência...
    Leia mais
    Image

    Calendário de Eventos

    Novembro 2019
    S T Q Q S S D
    1 2 3
    4 5 6 7 8 9 10
    11 12 13 14 15 16 17
    18 19 20 21 22 23 24
    25 26 27 28 29 30
    Image
    Image
    Image

    INFORMAÇÕES GERAIS

    SEDE

    SAUS Quadra 1 - Bloco J – Torre B - 7º andar. Ed. CNT
    CEP: 70.070-944 – Brasília/DF